Ficha de Inscrição - cheryl vogt - carmel high school/ tigress

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ficha de Inscrição - cheryl vogt - carmel high school/ tigress

Mensagem por Cheryl Vogt em Sab Jun 23, 2012 6:03 pm





























CHERYL VOGT





nome completo: Cheryl Vogt.

idade: 16 anos.

local de nascimento: londres/inglaterra.


grupo: Carmel High School



subgrupo: tigress.


photoplayer: taylor momsen.












personalidade


Não sou daquelas garotas que tem medinho de tudo e de todos e é toda nojentinha e se acha melhor que os outros seres humano. Porque eu seria assim, afinal? Porque minha mãe era assim no Ensino Médio? Me recuso a ser a pessoa que minha mãe era no ensino médio, mas ela não era tão certinha como dizia que era afinal se fosse não teria engravidado no terceiro ano do E.M de um cara popular do colégio que a levou pra cama e que eu tenho nojo de chama-lo de pai, mas eu nem o conhecia então não tinha de chama-lo de pai.
Sou uma garota arrogante perto das outras de Londres, bem arrogante e fria, não tenho que ser simpática com ninguém, não é minha obrigação por mais que minha mãe queria que eu seja popular no colégio eu não ligo para isso, serei quem eu sou de verdade e foda-se.


história


patricinha
(Patrícia, antropónimo + -inha)
adj. f. s. f.
[Brasil, Informal] Diz-se de ou jovem do sexo feminino que exibe comportamento ou aparência considerado como pertencente a uma classe social elevada



Ano de 2012. Annelise Vogt ia para a cama com um cara popular do colégio, provavelmente um jogador de futebol gostoso. Era algo de se orgulhar uma líder de torcida patricinha com um jogador de futebol, todos aprovariam esta relação se a garota não tivesse ficado grávida em seguida. O jogador de futebol gostosão, ria da cara da garota que ficava mais gorda a cada semana e havia sido expulsa da equipe de torcida de seu colégio. A vida social de Annelise havia despencado de um precipício, os pais da garota olhavam- a com um olhar de repugnância e nojo para a barriga dela e pararam de banca-la desde então. Annelise chorava toda noite por causa da criança eu habitava seu corpo. Ela estava decidida a abortar a criança e iria ao médico na manhã seguinte.


E assim foi. Foi ao médico para fazer o aborto mas seu pedido foi negado. A criança estava muito desenvolvida para que fosse abortada, os olhos de Annelise se encheram de lágrimas de raiva e voltou a casa de seus pais, irritada. Ela deveria ter um aborto espontâneo. Bebeu, se drogou, tomou remédios sem necessidade mas nada fez com que perdesse o bebê, só a fez ficar viciada em drogas, nada mais. O bebê era forte e sabia que deveria aguentar firme ali.


Quando a criança nasceu, ela nasceu saudável. Muito saudável para uma criança que sofreu tanto durante a gravidez. Assim que foi autorizada a saída de Annelise do hospital, a criança foi junto com a garota para a casa de seus avós(avós da cheryl . Pais de annelise.) Annelise havia abandonado os estudos. Faltava apenas um ano para que concluísse o ensino médio, que mal faria? Os pais de Annelise ao verem o estado onde a garota se encontrava sentiram pena dela e mais pena ainda do bebê que ela tinha acabado de dar a luz e ajudaram annelise a sair do poço onde ela havia entrado.


Cheryl, como foi batizada, cresceu na casa de seus avós tendo as coisas mais caras e de boa qualidade que existem e sua mãe, terminou o ensino médio e agora fazia faculdade de Direito, ficando totalmente ausente da vida da filha que era feliz com os avós. Cheryl nunca foi a garotinha lindinha que Annelise era quando era criança e seus avós odiavam isso, tentavam mudar a neta a qualquer custo mas a garotinha se recusava a qualquer mudança de sua personalidade, com apenas cinco anos.


Ela começou a frequentar a escola bem cedo, sendo sempre muito bem educada desde seu nascimento ninguém esperava que ela se tornaria a pessoa arrogante que ela se tornou. Ela respondia para os professores e foi para a diretoria diversas vezes, mas ninguém sabia que esse era apenas o jeito dela para esconder o seu mais precioso segredo.


homossexual |cs|
(homo- + sexual)
adj. 2 g.
1. Diz-se da relação sexual ou afectiva mantida entre pessoas do mesmo sexo.
adj. 2 g. s. 2 g.
2. Que ou quem sente atracção sexual por pessoas do mesmo sexo ou tem relações sexuais ou afectivas com pessoas do mesmo sexo.



Cheryl era homossexual. Ninguém sabia disso, apenas ela. E ela não se sentia bem para contar isso a ninguém, tendo em conta que seus avós a educaram tanto para que ela fosse uma garota igual a sua mãe, tirando o fato de ter engravidado tão jovem. Cheryl tentava encontrar jeito de contar indiretamente que era lésbica, mas nunca conseguiu isso pois sempre que tocava no assunto, seus avós erguiam sobrancelhas e a olhavam com nojo e isso deixava Cheryl magoada.


Annelise havia acabado a faculdade de Direito e pretendia se mudar de Londres, para uma cidade pequena de Ohio, ela não queria levar sua filha com ela, queria que ela cresce com seus pais, mas a garotinha chorou tanto que Annelise não teve escolha se não leva-la consigo. Cheryl tinha seus quinze anos quando foi para Ohio na companhia de sua mãe. Era a primeira vez que ela conviveria com ela.


Elas iriam morar em Akron, uma cidade de Ohio. Annelise matriculou Cheryl na Carmel e disse que ela deveria entrar para as lideres de torcida, custe o que custar. Cheryl odiou essa ideia, ela queria ir para o Coral desde o primeiro dia no colégio, eles eram tão populares no colégio, mas ela não ligava para a popularidade ela amava cantar, e era isso.


“Eu quero entrar no Vocal Adrenaline mamãe! Eles são o melhor coral de OHIO!” Cheryl falava quase aos prantos para sua mãe, a maquiagem preta que ela usava estava toda borrada e sua mãe não tinha uma cara agradável. “CORAL CHERYL? VOCÊ ENDOIDOU? VOCÊ VAI ENTRAR PRO TIME DE TORCIDA E ESTÁ ACABADO ESTE ASSUNTO” Annelise gritava para Cheryl que agora soluçava e corria para o quarto.


Cheryl não estava feliz com a decisão de sua mãe, ela não aguentaria ficar junto com todas aquelas garotas quase nuas perto dela, seria como uma missão impossível para ela. A mãe dela não sabia qual era sua opção sexual e nem saberia pois a julgaria como os avós dela a julgavam antes mesmo dela terminar uma frase, ela estava cansada disso de ter controlada a sua vida, ela já tinha quinze anos e ela podia muito bem tomar suas próprias decisões.


Contra sua vontade Cheryl entrou na torcida, sua mãe a ajudou com o que teria de apresentar em sua audição para as líderes e ela se saiu bem, bem até demais. Apesar de ter se apresentado com sua maquiagem preta habitual, e o olhar de repugnância ao ver as capitas do time olharem para ela, ela passou por ter sido excepcional. E ela foi aprendendo que a torcida não era tão ruim quanto parecia. O vestiário era a melhor parte, pelo menos para ela. Mas ela ainda admirava Vocal Adrenaline, mas não teve a ousadia de tentar entrar no grupo pois sabia que se sua mãe descobrisse não seria bom para ela.


Ninguém gostava dela na torcida, ela era apenas aturada por todas, todas era muito patricinhas para ser amigas de Cheryl e Cheryl era um ser estranho por usar preto constantemente, ela nunca foi de usar o uniforme da Tigress pelo colégio pois não queria se mostrar, muito menos ser popular ali ela queria apenas ser invisível.
.




Créditos a Die do OPS!

avatar
Cheryl Vogt
Tigress (CHS)
Tigress (CHS)

Mensagens : 4
Pontos : 6
Data de inscrição : 23/06/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ficha de Inscrição - cheryl vogt - carmel high school/ tigress

Mensagem por Natasha S. Bolelli em Sab Jun 23, 2012 6:13 pm


Ficha Aprovada!
Bem-vinda ao Glee Teenage Era.




avatar
Natasha S. Bolelli
Admin
Admin

Mensagens : 41
Pontos : 25
Data de inscrição : 21/06/2012
Idade : 27
Localização : Lima,Ohio.

Perfil Gleek
Apelidos: Natie,Tasha,Nat.
Relacionamento: Amizade Colorida 8)
Status no Fórum : Administrador

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum